Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Missão Poema #5

   Na semana passada não houve esta rúbrica porque mandei a Florbela Espanca ir dar uma volta. Esta semana, a coisa não está mais famosa, e por isso, vamos passar a outro poema, que será o último da temporada. Le Dormeur du Val também faz parte dos meus poemas franceses preferidos e confesso que há uns anos o sabia de cor, pelo que vou fazer um bocadito de batota.

 

C'est un trou de verdure où chante une rivière
Accrochant follement aux herbes des haillons
D'argent ; où le soleil, de la montagne fière,
Luit : c'est un petit val qui mousse de rayons.

Un soldat jeune, lèvre bouche ouverte, tête nue,
Et la nuque baignant dans le frais cresson bleu,
Dort ; il est étendu dans l'herbe sous la nue,
Pâle dans son lit vert où la lumière pleut.

Les pieds dans les glaïeuls, il dort. Souriant comme
Sourirait un enfant malade, il fait un somme :
Nature, berce-le chaudement : il a froid.

Les parfums ne font pas frissonner sa narine ;
Il dort dans le soleil, la main sur sa poitrine
Tranquille. Il a deux trous rouges au côté droit.

 

Arthur Rimbaud

Já estive melhor, já estive pior

   Há uns anos atrás, tive uma professora de Psicologia que era um bocadinho (ou completamente) maluca. Tinha ataques de choro durante as aulas, começava aos berros sem razão aparente e falava muito na filha que tinha morrido já adulta. Por entre loucuras, contava também histórias, algumas das quais acabaram por ficar na minha memória.

   Uma vez, ela contou-nos que o pai, quando interpelado na rua sobre como ia, respondia sempre: "já estive melhor, já estive pior, vai-se andando". E retorquia sempre assim porque não queria chamar atenções indesejadas. Porque se respondesse que ia bem e que a sua vida era maravilhosa, isso suscitaria muitas invejas, criaria inimigos e poderia até ter pessoas a quererem-lhe mal. Se respondesse que ia mal, teriam pena dele, e alguém ter pena de nós, é coisa triste. Portanto ficava sempre ali no meio termo.

   E eu guardei esta história em mim, mas na altura não percebi bem o que queria dizer. Cinco anos depois, entendo na perfeição. O melhor é uma pessoa ficar calada, quer em relação a feitos passados, quer em relação ao que tem no presente, quer no que diz respeito a planos futuros. Porque vai sempre haver alguém a querer seguir os passos que nós próprios desenhámos na areia há muito tempo atrás, e alguém a cobiçar o nosso momento presente, e outras gentes a esforçarem-se por destruir os nossos sonhos para o amanhã. Portanto sim, bico calado em relação a muita coisa.

footprints.jpg

Vídeos Motivacionais

   Sabem aqueles vídeos motivacionais que existem às centenas no Youtube? Pois, eu papo-os a todos como quem come pipocas durante um filme. A maior parte são uma porcaria, não motivam nada e quase que adormeço a vê-los. Mas no meio desses, há uns que se aproveitam. Eis o meu preferido:

   Quando amanhã for correr 10km, é melhor ter estas ideias na cabeça.

Instagram #3

11150171_955482354463036_2908264476470987994_n.jpg

 Hoje tive um daqueles dias como não tinha há muito muito muito muito tempo!! Foi um espectáculo! Estive a trabalhar no secretariado do XX encontro da Sociedade de Patologia Animal e fartei-me de aprender coisas novas, de conhecer pessoas interessantíssimas, de brincar com o professor Daniel Murta (que afinal está a um nível profissional como eu nunca imaginei!) e com o professor Faísca, de tagarelar sobre o curso e sobre o futuro com as colegas do 5º ano (suuuuuuuuuper simpáticas) e...de tirar fotografias. No final do congresso, alguns de nós fomos jantar e aproveitei para fazer imensas perguntas às minhas novas amigas, com as quais descobri ter um milhão de coisas em comum, para dizer uma coisa que já se me andava aqui há algum tempo entalada na garganta e para fazer contactos com os senhores doutores super descontraídos que ali se juntaram para comer. Uma das raparigas do 5º ano disse logo que me arranjava um estágio de reprodução equina na Bélgica quando eu mencionei que engraçava com a coisa. No final, o Faisquinha pagou o jantar às suas alunas e tudo pah, fofinho do homem. E pensar que ainda estive umas horas a pensar se me inscrevia para trabalhar no congresso ou não!! 

Amanhã é dia de palestra sobre Medicina Dentária Veterinária! Sigaaaaaaaaaa!

Coudelaria de Alter Real

   Hoje não há #TBT porque o presente é muito melhor do que o passado. E hoje foi mais um dia inesquecível na história deste curso maravilhoso. Eu gosto muito da cadeira de Reprodução e meter a mão no cú da vaca/égua é o que mais aprecio nisto tudo. Brincadeiras à parte, acho que tenho jeitinho para ecografias (quer sejam transabdominais ou rectais), sempre que as faço, consigo ver o que quero com rapidez e eficiência, sem precisar de ajuda.

 

DSCN1729.JPG

 

Raro momento de orgulho português. O Puro Sangue Lusitano é o melhor cavalo do mundo pah

IMG_3191.JPG

 

Momento da palhaçada

 

IMG_3197.JPG

 

Rita a socializar com um cavalo, uau!

IMG_3228.JPG

 Poldrinhos com 7 dias tão fofinhooooooooos!

Mais um Desafio!

Mais um desafio da C.* :)

 

  1. Há quanto tempo tens o blog?

Desde 01 de Outubro de 2014

  1. Em que dia o blog foi criado?

Já respondi acima :)

  1. Sem ires ao painel, quantas visualizações tens, aproximadamente?

3000 e picos, penso eu.

  1. Sem ires ao painel, quantos comentários tens, aproximadamente?

Ah, não muitos, uns 30.

  1. Quantas publicações tens?

Hmmmm quase 200...?

  1. Quantos seguidores tens?

5.

  1. Quem mais sabe da existência do blog?

Algumas pessoas sabem.

  1. Já pediste conselhos a outro blogger?

Não.

  1. Lembras-te perfeitamente de todos os layouts que o teu blog teve?

O actual foi o único e gosto muito dele!

  1. Que opinião achas que as pessoas têm do teu blog?

Escrevo neste blog porque, por vezes, preciso de me exprimir e acho que uma folha em branco transmite melhor o que quero dizer do que palavras soltas ao vento, portanto, como é mais uma coisa que faço por mim, não me interessa muito a opinião dos outros xD

Longe da Vista, Longe do Coração

Mais um texto fictício com um cheirinho a realidade.

 

   Alguém disse  “longe da vista, longe do coração” e esse alguém tinha alguma razão, agora admito. Porque eu diariamente pensava em ti naquela época em que nos víamos muitas vezes. Eras como uma obcessão para mim, todos os meus pensamentos giravam em teu redor, tinhas-me presa, acorrentada, domada. Mas depois o tempo nos separou e, durante algum tempo, só te avistava de vez em quando, e muitas dessas vezes, nem sequer nos falávamos. Agora regressaste, ou então fui eu quem voltou a ir ter contigo. Não interessa, os nosso caminhos cruzaram-se novamente e eu vejo-me uma vez mais numa espiral que não sei determinar se será ascendente pela euforia, pela felicidade e pela excitação que me provoca ou descendente pelo final que vai ter, no qual eu nem sequer quero pensar. Talvez seja mais como um tornado, e não uma espiral. Talvez eu ande às voltas, sem rumo, como que perdida, à procura do caminho certo. Tens-me de novo na tua mão. No entanto, não sei se queres saber. Não sei sequer se sabes que existo para além daqueles breves instantes em que os nossos olhares se cruzam, em que sorrimos um para o outro (apenas por cortesia, talvez), em que pronuncias o meu nome. E eu quero pensar que o dizes com ternura, que há mais no teu sorriso do que eu posso avaliar à primeira vista, que o teu olhar não aguenta muito tempo colado ao meu porque, no fundo, tu sabes, tu percebes. Quero imaginar tudo isso mas, nos momentos mais lúcidos, sei que não passa tudo de uma ilusão, de um sentimento platónico, de algo inatingível e inalcançável. Estás a anos luz de distância. Em todos os sentidos, em todos os pontos. Seremos sempre “tu e eu”, nunca haverá um “nós”. No entanto, a minha cabeça não cessa de me bombardear com imagens tuas, com memórias, com esperanças, com sonhos. E o coração acelera e quase que sinto as endorfinas todas contentes a serem produzidas no meu corpo, transmitindo-me uma sensação de felicidade e bem-estar, que se vem aliar a este desconforto que cá guardo no fundo do meu ser, este desconforto de saber que nunca vou ser tua, nem tu vais ser meu.

 

Sonhos

   É engraçado como uma pessoa acorda e se lembra perfeitamente daquilo que acabou de sonhar e, se não tomar nota, passados uns minutos já se esqueceu. Recordo-me de esta manhã estar a sonhar com alguma coisa que me estava a stressar. Até acordei, virei-me para o outro lado, e voltei ao mesmo sonho. Mas já não sei do que se tratava!

   Em contrapartida, penso que foi na primeira noite do fim-de-semana, passei horas e horas em aflição, a julgar que era o dia do concerto da Jessie J e eu já lá estava na fila desde as 6h da manhã (para quem não sabe, eu sou alta maluquinha da primeira fila já há muitos anos em concertos que quero mesmo ver de perto) e estava a sentir toda aquela adrenalina e toda aquela ansiedade de não poder abandonar a fila mais do que cinco minutos só para ir à casa de banho ou de não deixar passar ninguém à frente ou de correr o mais depressa possível pelas escadarias da Meo Arena para ganhar um lugar privilegiado. Isso só quer dizer que tenho de adquirir o meu bilhete rapidamente hehe.

   Enfim, estou outra vez numa época de sonhar muito. Deve ser do stress.

Eu Quero, Eu Quero...

   Só quero sair daqui, deixar esta rotina para trás, e experenciar uma coisa nova todos os dias. Quero partir à aventura, à descoberta, quero caminhar por montes e florestas, quero nadar em todos os oceanos e sentir o cheiro de todos os países do mundo. Quero ajudar a construir uma escola em África e quero erradicar a raiva da Ásia. Quero assistir ao nascer do sol nas montanhas do Tibete e quero observar a aurora boreal no Pólo Norte. Quero ir até ao extremo sul da América do Sul e beber uma água de coco nas Caraíbas. Quero proteger os grandes felinos da África do Sul e caminhar milhas e milhas ao longo do Grand Canyon. Quero ir ao Vietnam e comunicar através do sorriso, que é como melhor nos entendemos. Quero fotografar os ursos polares, que em breve estarão extintos, e quero amarrar-me a uma árvore da Amazónia a fim de evitar que seja cortada para que se arranje espaço para mais uma indústria agro-pecuária. Quero percorrer a muralha da China de uma ponta à outra e anseio por conhecer todas as ilhas gregas. Quero abraçar uma daquelas sequóias gigantes da California e dar um passeio à beira mar em Santa Mónica. Quero dançar o samba no Rio e admirar Machu Picchu. Quero fazer mergulho em todos os continentes, e em especial, na grande barreira de coral. Quero nadar com tubarões baleia e quero ajudar tartarugas bebés a saírem dos buracos na areia e a dirigirem-se para o mar. Quero conhecer culturas, línguas, gastronomias e costumes e quero ficar embasbacada, de lágrima no olho, com borboletas a esvoaçarem-me na barriga, como tantas vezes já me aconteceu. Quero sentir-me livre, de novo eu própria, e não a sombra em que me tornei. Eu quero, eu quero...

DSCF3176.JPG

 Dos momentos mais bonitos da minha vida - Pôr-do-sol em Krabi, Tailândia.