Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

70 anos depois - Auschwitz

   Comemoram-se hoje os 70 anos da libertação do campo de concentração mais famoso do mundo, Auschwitz. Um local onde, entre 1940 e 1945, se apagaram 1,3 milhões de vidas em nome da "pureza da raça ariana", em nome do nazismo, em nome do poder, em nome da loucura. Aquele que era suposto ser um campo para prisioneiros polacos transformou-se, em coisa de dois anos, num espaço onde ocorreu o maior extermínio em massa de toda a Humanidade.

   Hoje, 300 sobreviventes que foram resgatados neste dia de 27 de Janeiro de 1945 regressaram para prestar mais uma homenagem a todos os que lá deixaram: familiares, amigos, companheiros de viagem, desconhecidos. Hoje o mundo recorda. Mas julgo que não o suficiente. Há aqui capítulos da História que estou a ver repetidos, na própria Alemanha, nos dias que correm. Insurge-se de novo a luta contra os que vêm de fora, a caça aos que são diferentes, a procura pela "perfeição" que não existe. 

   Dizem que a História serve para que o Homem não cometa os mesmos erros duas vezes. Mas quantos genocídios não terão já ocorrido, desde 1944, altura em que esta palavra foi criada? Assim de repente, lembro-me do de Ruanda e do do Cambodja, que são certamente os mais discutidos, mas quantos genocídios existem diariamente que o mundo simplesmente deixa acontecer, tal como deixou que os nazis e os comunistas russos (não esqueçamos que morreram mais pessoas às mãos da repressão soviética do que às dos nazis!) assassinassem milhões de pessoas em tão poucos anos? Rússia, Ucrânia, Israel, Palestina, Nigéria, Iraque, Síria...diz-vos alguma coisa? E tudo isto em nome da Guerra Santa e da Paz e de mais não sei quantas coisas sagradas...

   "Se Deus existe, terá de implorar pelo meu perdão" escreveu um prisioneiro judeu numa parede de um dos campos de concentração. No curso de reiki ao qual assisti há uns tempos, questionou-se a existência e o poder de Deus, que nada terá feito para impedir todo este massacre. Mas também se referiu que os campos de concentração foram uma "forma de salvar a Humanidade" pois esta "estava a caminhar para um abismo sem retorno". Fiquei sem entender muito bem estas palavras, será que queriam dizer que foi "um mal necessário" para todos nós podermos estar aqui hoje neste planeta? Fica para reflectir...

1509757_710175855770036_4024802320487594210_n.jpg

 Auschwitz, 2013 (By Marta Lourenço).

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.