Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Ainda a Tese

   Já deve estar quase a fazer um ano desde o dia em que a nossa directora de curso tirou uma hora para nos explicar como é que se processavam os estágios e a dissertação de mestrado. Recordo-me de ela dizer que o processo de escrita da tese era difícil e solitário, que muitas vezes íamos ter vontade de desistir, de ir para a praia, de contar moscas. Referiu inclusive que era a parte mais complicada do curso. E eu na altura pensei que não seria o meu caso, que gostava de escrever e que não seria assim tão difícil escrever sessenta páginas para despachar seis anos a penar. Julguei que dois meses seriam suficientes, que conseguiria dedicar-me de alma e coração à tese e que certamente não seria a parte mais complicada deste curso. 

   E afinal, a senhora tinha razão. Cheguei a Portugal há mais de três meses e nem metade da tese tenho feita. À sexta-feira convenço-me que no fim-de-semana vou adiantar isto. E depois há sempre coisas mais interessantes a fazer, nem que seja procrastinar na internet. Durante a semana tenho as segundas e as quartas livres mas também parece haver sempre qualquer coisa a atrapalhar, seja um compromisso, uma consulta, um contratempo. E depois se já tenho a tarde cortada, convenço-me de que nas duas horas que me restam já não vou fazer nada e meto-me antes a ler ou a ver uma série. Quem diria que o sexto ano seria o mais "liberal" mas também o mais difícil de passar. 

   15 de Junho é a data limite que impus a mim própria para entregar a dissertação. Der por onde der, quero ir de férias com a cédula profissional no bolso.

dissertations-text-image.jpg

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.