Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Compromisso Eterno

   Ela tomou a iniciativa de lhe ligar. Explicou-lhe que não podia mais continuar a viver assim, que precisava dele, que não podiam continuar a fingir que estava tudo bem. Ele disse-lhe que não podia, que estavam a quebrar todas as regras. A sua voz grave parecia séria do outro lado da linha, ríspida até, como se tivesse ficado irritado dela lhe ligar inesperadamente. Ela referiu que as regras eram feitas para serem quebradas e acrescentou uma risada no final, como que para aliviar a tensão que se havia criado. Ele suspirou mas nada disse. Ela pediu para se encontrarem pessoalmente, não podiam resolver a situação por telefone. Para além disso, queria vê-lo, tocá-lo, abraçá-lo. Oito da noite, junto ao relógio mesmo em frente ao cruzamento. Ela colocou o seu melhor vestido e um sorriso sincero nos lábios. Chegou cedo, com a ansiedade. Andou para a frente e para trás, consultou o relógio, sentou-se num banco. Ergueu-se de novo, preocupada. Dez minutos de atraso. Um relâmpago atravessou os céus e a chuva começou a cair formando cortinas de água que bailavam ao sabor do vento. Resguardou-se debaixo da estação de autocarros. Mordiscou o lábio, consultou o telemóvel, olhou para um lado e para o outro, espreitando através dos carros e das árvores, dos guarda-chuvas apressados que passavam. Meia hora de atraso. Um carro parou em frente à paragem, o seu coração palpitou. Tentou espreitar através dos vidros embaciados, sem efeito. Uma mulher saiu de dentro do veículo, que se pôs de novo em andamento. Ela suspirou, cansada de esperar. Lágrimas subiram-lhe aos olhos, desiludida. Conseguiu reprimi-las, só não soube determinar por quanto mais tempo. Olhou uma última vez para o ecrã negro do seu telemóvel, sem esperança, e lançou um olhar preocupado ao céu, pois cada vez chovia mais. Ouviu alguém gritar o seu nome, e a princípio não entendeu de onde vinha. Era ele. Vinha a correr, estava encharcado. Ela saiu do seu abrigo e foi ter com ele, completamente esquecida da tempestade. Aterrar nos seus braços foi como uma lufada de oxigénio depois de estar numa casa em chamas. Ele fixou-a bem nos olhos e declarou que por ela quebrava todas as regras, todos os dias, para o resto da vida. Afastou-lhe o cabelo molhado da cara e encostou os lábios escorregadios aos dela, em jeito de compromisso eterno.

Aria-Ezra-2x17-ezra-and-aria-28396553-500-421-2.pn