Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Paris

   A minha amada Lisboa que me perdoe, mas não é por acaso que Paris tem o estatuto de "cidade mais bela do mundo". Acredito que nos muitos dias chuvosos que por lá há se torne mais difícil de acreditar mas a cidade que eu percorri incessantemente durante três dias sob um sol de Primavera fantástico não deixa margem para dúvidas - Paris é uma beldade sem igual.

   Quando era mais nova ia com alguma regularidade a Paris. Era uma cidade que os meus pais adoravam e portanto até aos quatorze anos devo tê-la visitado umas seis vezes. Depois veio a crise e outras complicações e passaram-se dez anos sem que pudesse regressar. E nada melhor do que o desafio de correr a maratona de Paris para me fazer retornar (a mim e aos meus pais, que aproveitaram para visitar e me apoiar durante a prova)!

   Fiquei hospedada no apartamento de uma colega de faculdade dos meus pais que me fez sentir como se estivesse na minha própria casa, dando-me uma chave para poder sair e entrar quando quisesse, comprando-me montes de coisas boas para o pequeno-almoço e oferecendo-se ainda para cozinhar outras refeições ou me dar boleia se fosse necessário.

   Na sexta feira andámos 17 quilómetros pelas ruas de Paris, o que me fez ficar ansiosa ao final do dia pois as dores nos joelhos eram notórias e tinha consciência de ter exagerado, a pouco mais de vinte e quatro horas de uma maratona. Almoçámos nos Champs Élysées e depois descemos toda a avenida, fizémos uma breve paragem na Concorde e no Jardin des Tuileries e caminhámos até ao Louvre. Daí ainda voltámos tudo para trás do outro lado do rio Sena para irmos à Tour Eiffel (não subimos) e Champs de Mars. Depois disso ainda fomos a pé até ao restaurante, uma pizzaria à qual íamos sempre quando estávamos em Paris, às vezes mais do que uma vez, e que adorávamos, mas que desta vez deixou a desejar.

   O sábado foi mais soft. Como tinha passado a noite anterior no aeroporto e não tinha dormido, aproveitei para ficar em casa da minha anfitriã até mais tarde a relaxar enquanto os meus pais percorriam as galerias mais badaladas da cidade, as Galeries Lafayette e o Printemps. Ao fim da manhã apanhei o metro para a zona onde eles estavam e sentei-me na esplanada de um café a beber um expresso e a ler um romance, tal como nos filmes. Almoçámos juntos por ali e depois fomos passear até Montmartre, visitar o Sacré Coeur e também o Moulin Rouge, antes de rumarmos todos até casa da colega dos meus pais para um "apéro". Os apéros são típicos franceses. É uma espécie de convívio que se faz em casa de um dos intervenientes, onde não pode faltar o álcool, o queijo e outros petiscos. Pode ser feito de forma isolada ou antes do jantar, que foi o que aconteceu. Acabámos a jantar com a Paula e a família no animado 7ème arrondissement e foi a cereja no topo do bolo para mais um dia fantástico em Paris.

   O domingo foi consagrado à maratona, cujo relato está aqui, e depois apenas houve tempo para almoçar um belo hambúrguer duplo antes de me despedir dos meus pais e rumar ao aeroporto para apanhar o voo que me traria de regresso ao sul de França. 

   Foram três dias repletos de felicidade e emoção, e entre a Irlanda e Paris, esta semana vai certamente deixar uma grande marca neste ano de 2018 que ainda está cheio de supresas e alegrias por vir.

DSCF3977.JPG

 Auuuux Champs Élysées, turu turu tu, auuuuux Champs Élysées turu turu tu!

IMG_20180407_113029.jpg

 Incontornável quando em Paris

IMG_20180407_113742.jpg

 Place de la Concorde

IMG_20180407_121112_030.jpg

Relaxando no dia antes da maratona

IMG_20180407_154632.jpg

 Basilique du Sacré Coeur

4 comentários

Comentar post