Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Partir

   Deveria ficar mais fácil mas parece que só fica mais difícil à medida que o tempo passa. E o espaço entre cada regresso também se torna maior e maior, até se assemelhar a um buraco negro sem fim. Primeiro eram dois meses, depois três, agora serão cinco ou seis. Escolha minha, que preferi gastar as férias de Setembro na Ásia em vez de regressar a casa. Escolha minha, que decidi prolongar o contrato por mais um mês e meio. Não me arrependo. Mas o coração vem sempre apertadinho no avião, a pensar que seis meses em anos de cão equivale a uns quatro anos. A pensar que pode ter sido o último abraço que dei ao meu avô. Que é possível que em Março tenha visto a minha avó pela última vez. Que tenho uma pessoa maravilhosa à espera impacientemente pelo meu regresso. Que nunca se sabe o dia de amanhã.

   Regressar a casa vem sempre com o pressuposto de partir a seguir, eu sei. Mas uma pessoa pode habituar-se às filas de espera no aeroporto, aprender a distrair-se durante o voo, saber de cor as paragens do autocarro que faz o trajecto Nice Cannes mas nunca se habitua à tristeza que é ver Lisboa a ficar para trás - e com ela tudo o que me é mais querido, claro está - à medida que o avião rompe as nuvens. As lágrimas que derramou não se convencem. Partir só fica mais difícil a cada regresso.

94325.jpg

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.