Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Relato de uma Tartaruguinha Feliz

   6h30. O despertador toca. É domingo, ainda é de noite lá fora e ameaça chover a qualquer instante. Lá tiro o rabo da cama, ainda sem perceber bem porque é que me meto nestas coisas. Pequeno-almoço: massas com ovo cozido e pão. Não sou para menos, aquelas tretas de beber um batido com uma fatiazinha de pão integral antes de ir correr uma meia maratona são escritas por pessoal que nunca esteve no terreno.

   Antes de sair de casa, volto a olhar pela janela. Chove a potes. Espectáculo, motivação no máximo. Decido levar um impermeável, com medo que o telemóvel se fine com a água. A caminho da paragem de autocarro, puff, pata na poça, meia encharcada. Vou a acabar de passar a estrada na passadeira e puff de novo. Um gajo passa atrás de mim a alta velocidade e sinto a água a entranhar-se-me pelas pernas de cima a baixo. Nesse momento tive de rir para não chorar. Depois disso, a coisa melhorou. Encontrei-me com a equipa no Parque das Nações e lá fomos, uns mais entusiasmados do que outros (e eu com cara de zombie). Partida: ai meu Deus que não me sinto preparada! Lá vou eu, muito feliz até aos 4km, altura em que voltei a pensar na razão pela qual me meto nestas coisas, sem encontrar nenhuma válida. Tudo muito bonito até ao quilómetro 16. A partir daí custou como o caraças mas nunca parei para andar, como aconteceu na minha primeira meia, há ano e meio. Mais do que orgulhosa do tempo que fiz, estou orgulhosa de nunca ter parado, nem mesmo naquela subida ao km 18. O gel energético que estavam a oferecer a 1/3 do fim ajudou muito, fiquei fã.

   No final, cruzei a meta com o meu relógio a indicar 2h12. Corri para o gelado (depois lá encontrei uma razão válida para fazer 21km - no final, oferecem um Magnum) e reencontrei-me com a equipa para uma última foto pós-prova. Melhor do que tudo isso, foi ter chegado à meta com o dilema que me esteve a atrofiar o cérebro nestes últimos dias resolvido (novidades em breve)! No final, mesmo no finalzinho, uma pessoa acaba por encontrar mil e uma razões pela qual se faz à estrada. E se durante a prova só se pensa "nunca mais faço isto", ao cruzar a meta já só se pensa na próxima corrida.

Meia Maratona.jpg

 Os 4 macacos que correram a Meia. Faltam os 2 que fizeram a Maratona. No total angariámos 168 ovos para famílias carenciadas. #MovetPower

 

   PS: muito obrigada à menina que puxou por mim na subida junto ao Lux e também a todos os que foram apoiar com palmas e cartazes os corredores!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.