Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Santorini

   Santorini esteve à altura das expectativas altíssimas. Toda a gente que visita algumas ilhas da Grécia é consensual na preferência: Santorini. Eu não fui excepção.

   É uma ilha lindíssima, especialmente devido à arquitectura única das duas cidades principais, Thira (que se lê Fira) e Oia (que se lê Ia), e das igualmente charmosas aldeias que existem pelo caminho entre as duas. Fiquei hospedada junto à praia de Perissa que é a maior da ilha e tem areia preta, e todos os dias apanhava o autocarro para Thira, e depois para outro qualquer ponto de interesse. Tanto a capital como Oia são obrigatórias ao pôr-do-sol. É aquele clássico da Grécia que ninguém pode perder.

   O conselho mais importante que posso dar para quem quer apanhar os melhores lugares - em Oia são nas ruínas do castelo porque se vêem as cores da cidade a mudarem ao mesmo tempo que se observa o sol a desaparecer - é chegar cedo. Tipo, com duas horas e meia a três horas de antecedência. Se o sol se põe às 20h30, estejam a guardar lugar a partir das 18h. Foi o que eu fiz e foi nesse tempo que fiz um amigo coreano com quem depois tive um belo jantar. Thira não é tão concorrida para o pôr-do-sol mas mesmo assim há sítios com muita gente.

   Santorini não teria sido a mesma coisa se eu não tivesse feito um maravilhoso passeio de barco que durou quase um dia inteiro. A primeira paragem foi numa ilha pequena onde está o único vulcão activo da região, cuja última erupção se deu em 1950. Levámos com um banho de História e foi muito interessante descobrir os mistérios geológicos deste grupinho de ilhas gregas. Seguiram-se as "Hot Springs", que são como as piscinas de água férrea nos Açores...só que no mar! O veleiro larga a âncora a cerca de 50 metros do local e quem quiser pode mergulhar nas águas límpidas e nadar em direcção à cor acastanhada que sai de uma baía ali perto. É o forte conteúdo em ferro que confere esta cor à água, que por sinal se encontra a uns belos 28ºC. O pior mesmo é ter de regressar ao barco, que ficou parado onde a água tem uma temperatura de 21ºC!!

   Em frente à ilha de Thera (porque na verdade, Santorini é o nome que se dá ao conjunto das ilhas que compõem o arquipélago), fica Thirassia, uma ilha mais pequena mas habitada, onde o veleiro parou para que pudéssemos almoçar e apreciar as águas calmíssimas e límpidas. Depois disso navegámos até ao porto de Oia e foi nessa mesma cidade que fiquei para o pôr-do-sol.

   O último dia foi passado na sua quase totalidade em Amoudi Bay, uma baía amorosa com barquinhos de pesca e três ou quatro restaurantes mesmo sobre a água. Caminhando uns duzentos ou trezentos metros, existe um local que tem uma entrada para o mar razoável e é possível nadar até um rochedo que fica a uns 20-30 metros e de onde muita gente faz o chamado "Cliff Jumping". A altura é de cerca de 4-5 metros mas acreditem, eu saltei uma vez e lá de cima parece muito mais!

20170708_200425.jpg

 Foi deste ponto que apreciei o pôr-do-sol sobre a cidade de Thira

20170709_202542.jpg

O incontornável pôr-do-sol em Oia

DSCF1951.JPG

 Enquanto esperava pela hora mágica com o meu amigo coreano

 

DSCF2070.JPG

 Só mais uma 

DSCF2044.JPG

 Gravado para sempre na memória! E a lua cheia e enorme que surgiu depois disto???! 

DSCF2113.JPG

Amoudi Bay

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.