Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Soubesse Eu

   Soubesse eu que era a última vez que as rugas da minha pele se encaixavam com uma perfeição assustadora nas tuas, não te teria largado a mão. Os teus olhos encovados, fitando os meus já cansados, sorrindo na esperança de um amanhã que não chegou. Uma conversa breve, não mais do que quatro horas  - a dona Adelina estava à tua espera para jogar dominó e eu cheia de ciúmes - relembrando os dias passados. Ainda ontem vínhamos de mãos dadas da escola e no entanto dizem-nos que já faz quase um século. 

   Soubesse eu que era a última vez que te voltavas para mim, com o braço a acenar como podia, sem o outro largar o andarilho, e teria fechado a sete chaves a porta por onde desapareceste. Nós, humanos, acreditamos que tudo é eterno, que somos imortais, que haverá sempre tempo para um último abraço, um último sorriso, uma frase final. Marionetas do tempo, à mercê de um relógio implacável que nunca gasta a pilha. Donos do mundo que na verdade é nosso há quatro segundos. 

   E o que não trocava eu por mais quatro segundos contigo? Por um sorriso que não se apaga, um olhar que não se esquece, um toque que fica gravado e uma memória eterna.

ca9f3010ea8e03c2644a69ec86ee7d0b.jpg

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.