Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Uma Semana Perfeita

   Cheguei hoje a Cannes depois de seis dias em Portugal. Não quis actualizar o blog enquanto estive em casa porque preferi aproveitar cada segundo e também porque se o fizesse ia ter a sensação de que já estava a acabar. Tive uma das melhores semanas da minha vida e nem sei bem explicar porquê. Aproveitei cada segundo, desfrutei de cada sensação, desde o olhar pela janela do avião e avistar a Ponte Vasco da Gama até ao momento em que aterrei há pouco em Nice ainda com um ténue clarão luminoso a evidenciar todas as montanhas que se elevam ao longe e rodeiam a cidade. 

   Há dois anos tinha quase a certeza de que seria o último Natal que passaria com a minha avó ainda presente porque já sabia que no ano seguinte estaria nos Estados Unidos e como ela tem Alzheimer já há alguns anos e acaba por ser também muito debilitante para o sistema imunitário, julguei que seria o último. Felizmente este ano ainda pude chegar a tempo de celebrar o Natal com ela e estou muito grata por isso.

   Cheguei a tempo do perú, dos sonhos, da tarte de maçã, das azevias, do bolo de chocolate e do ananás. Não cheguei a tempo de provar o bacalhau na consoada mas não foi nada que não se resolvesse no dia 26, durante o qual também festejámos até ao cair da noite.

   Corri duas vezes. Uma em Cascais, quase até ao Guincho, numa tarde de tempestade (e que bem que me soube!) e outra na São Silvestre de Lisboa, num ambiente incrível que me deixou de lágrima ao canto do olho.

   Estive com amigos do peito, tomei cafés, dei passeios pelo parque e pela cidade, experimentei novos locais como a Leitaria do Paço. Vi as luzes de Natal e a árvore gigante do Terreiro do Paço. E não imaginam o quanto isso foi importante para mim.

   Experimentei a nova máquina de café lá de casa e acabei a fazer cappuccinos e lattes todos os dias tamanha a maravilha que aquilo é. Apreciei cada pequeno-almoço tomado na rua, acompanhada pela família, ou em casa, sozinha com os meus pensamentos e dentro do meu robe quentinho.

   Passeei as cadelas com calma e um sorriso no rosto. Beijei-as e abracei-as muitas vezes e estraguei-as com mimos (biscoitos incluídos).

   Fui jantar fora duas vezes, tive direito a ir ao cinema e num dos dias ainda fui ao Bacalhôa Buddha Eden Garden passear.

   Mais importante do que tudo isso, fui para Portugal solteira e regressei a Nice numa relação séria. Já aqui vos tinha falado do rapaz que conheci na Corrida do Tejo e com quem treinei várias vezes antes de partir. Depois disso continuámos a falar diariamente e as coisas foram evoluindo. Era óbvio que alguma coisa teria que acontecer na minha curta visita. Estivémos juntos quatro dos seis dias, fizemos muitos programas e aos poucos estou a começar a gostar muito dele. Não vou mentir e dizer que os sentimentos que tinha pela pessoa que tornou o meu 2017 num ano tão irregular desapareceram por completo. Alguns ainda cá estão, outros já se foram. E há quem possa pensar que é injusto e egoísta da minha parte estar com uma pessoa quando ainda há uma pequena parte de mim agarrada a outra. E eu compreendo. Mas acho que estar com o J. me vai ajudar a superar o trauma deste ano mais depressa e acredito que daqui a uns tempos vou estar apaixonada por ele a 200% e nunca mais o N. se me vai atravessar em pensamento a não ser pela amizado que nutro por ele. 

   Estou feliz. Genuinamente feliz. Há meses que não me sentia assim, tão leve, tão alegre, tão capaz de apreciar as pequenas coisa da vida. Tenho a certeza que 2018 será muito melhor que 2017. Estou de coração cheio e não podia terminar o ano da melhor forma.

received_10210147351670925.jpeg

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.