Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Same Same But Different

Um blog repleto de ideias, textos, sonhos e aventuras de uma jovem maravilhada com o mundo em seu redor.

Viajar Sozinha

   Perguntam-me com frequência se não tenho medo de andar pelo mundo fora sozinha e eu encolho os ombros e respondo que nem por isso. É óbvio que há riscos, ainda mais quando se é mulher. No entanto, nunca me senti ameaçada, por mais situações estranhas que já possa ter vivido.

   Sou menina para andar de t-shirt e chinelos. Roupas caras e acessórios só ocupam a mala e chamam atenções indesejadas. A câmara fotográfica costuma ir ao pescoço mas vai para dentro da mochila em zonas isoladas, principalmente à noite.

   Mesmo chegando de madrugada a qualquer sítio (aconteceu tanta vez), tenho sempre à mão a morada onde pretendo chegar e o que tenho de fazer para o conseguir. O planeamento é, na minha opinião, uma ferramenta essencial para conservarmos a nossa integridade. É claro que há quem goste mais de ir à deriva, de esticar o polegar à beira de uma estrada e ver o que aparece, de se juntar a um grupo e ir na onda, de não fazer a mínima ideia de onde vai dormir nesse dia quando a lua aparecer. Mas control freak como sou, essas coisas não são para mim.

   O resto vocês já sabem. Evitar becos e zonas mais perigosas, não aceitar bebidas de estranhos, não aceitar boleias de qualquer um, dar à família ou a amigos próximos um roteiro da nossa viagem, fazer questão de comunicar todos os dias nem que seja para dizer que estamos vivos (e quando tal não for possível porque vamos levar três dias a atravessar o deserto, avisar com antecedência!) e algum senso comum (nada de alugar uma mota num qualquer país asiático onde se está sozinho sem nunca ter conduzido uma na vida como eu fiz, hum?).

   Isto das mulheres viajarem sozinhas tem muitas vantagens, nomeadamente o facto de se ficar logo a conhecer meio mundo porque toda a gente nos aborda. Conheci imensa gente simpática por aí, é só partir à aventura que se travam logo novas amizades.

DSCF5175.JPG

 Em Amarapura, onde um monge novinho fez questão de me acompanhar durante todo o passeio e ainda cravou um guarda chuva a alguém para nos proteger do sol.

2 comentários

Comentar post